quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Eu faço o impossível

Eu gosto é do impossível
Comer sopa com garfo
Lamber o cotovelo
Ficar pelado em Moscou
Quero mesmo é o que mais parece distante
Conquistar aquela menina
E fazer com que tudo que é impossível
Se torne humanamente fácil

Quanto mais perto melhor
Só não posso exagerar
Mulher não quer sempre perto
Tem que mostrar superioridade
Pra perceber que você é diferente
De todos aqueles que a ela rodeiam

Eu fico de longe, esperando minha vez
Mas sempre perto, vendo o que se passa
E por você, menina linda
Eu corro pelado em Moscou
Lambendo o cotovelo
Depois de ter tomado a sopa
De garfo e faca mesmo, eu estava com pressa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário