terça-feira, 28 de setembro de 2010

Poeta aidético

Eu aproveitei a vida
juro
quis viver como ninguém
quis morrer como alguém

Alguém já viveu algo assim?
ninguém quer acabar assim
mas eu me orgulho
minha história é cheia

Cheia de lutas e glórias
tantas glórias e tantas Glórias
Marias, Brunas, Carmens e Vanessas
Foi um prazer sem igual esse que vivi
E foi de prazer que me arrisquei
que me matei

Se não satisfaz, ja virou terror
mas o que vivi me serve
hoje sou poeta e deixo
todo deletério que tive
repleto de amor e de dor

hoje é assim, por mais doloroso que seja
um tesão cheio de remorso
não me tira o sono
não foi por falta dele
que passei o melhor da vida
se morri ontem
foi porque aproveitei muito hoje pela manhã
bendito tesão doloroso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário