sábado, 26 de fevereiro de 2011

Envelhecer

Me pareceu que você disse
que nunca é tarde demais pra correr
mas olhando p'ras tuas pernas cansadas
senti você dizer
que já fazia muito tempo
e as mesmas malditas pernas não queriam obedecer

te vi envelhecer aos poucos
e se nunca foi tarde demais
por que não aproveitara antes?
acomodou-se
quis provar o jeito prático
hoje nem andar consegue

a alma querendo pular até cansar
e corpo querendo parar
ficou pra trás...
tornara-se preguiçoso,
hoje só andas com as pernas dos outros

quer me dizer que o sossego é um caos?
que estar de pé sempre foi a solução?
só agora quer ter uma vida real?

será mesmo que sua vontade de viver
não foi despertada tarde demais?

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Prazer

Depois de fazer um carnaval debaixo das minhas roupas
você vai embora
abandona-me
com a camisa impregnada do teu calor
e aquele cheiro de prazer espalhado pelo quarto

Depois de um furacão de pernas,
uma baita sensação de cansaço
ou a leve impressão de que
bastava um pouco mais de tempo
pra saírem tantas frases bem feitas
e te convencesse de ficar

assim, se foi
a saudade me bateu com violência
e eu só fui acordar no dia seguinte
na outra ponta da cama vazia.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Paz, padrão e hipocrisia

Parem de reclamar
de gritar nos meus ouvidos
anos se passaram
não perceberam até agora
que o que eu quero é

paz?

pra que? a sombra dos seus movimentos
é que ditam sua realidade
reclamamos mesmo
complicamos sua vida
ostento poder de regras
quando sou apenas o

padrão

é achar que quero seguir tendências
deixem-me sossegado
com a minha simplicidade
de vocês não tiro nada
mesmo que devesse
então por que tentam
tirar toda vez de mim essa

paz?

aceite a realidade, jovem
viva de acordo com o contexto
não espere que o tratemos diferente
porque queres um mundo só teu
sabe como você deve viver?
seguindo sempre a droga do

padrão

é uma porcaria
e eu sou diferente de todos vocês
maldito mundo hipócrita!