quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Dúvida

Escolher as portas de Jano, minha amiga
isto sim é o terror

é o poder da dúvida
a cruel Indecisão
inimiga faceira dos desavisados,
que grita quando tem que ficar muda
que tudo vê no escuro
e conta as histórias mais terríveis
de quem nem conheceu

Sobreviveu, então, pra contar a história?
Eu tomaria cuidado...

Pois na porta errada de Jano, amiga minha
aguarda uma morte solitária
a morte de quem não acredita nas pessoas
o precipício de quem duvidou

Portanto, não duvide... nunca.

domingo, 7 de agosto de 2011

Te amo e não volto

Foi como se fosse a primeira vez a te beijar
mas nós não sabíamos como, nem pode onde começar
brigamos de novo
pedimos reembolso do amor que gastamos

mas eu queria pagar mais...
paguei pelo preço
e mesmo com todo apreço
eu sei que não vamos voltar

por mais que eu me faça mudado
que a seus pais eu fique mais chegado
eu mal comecei a falar
e você já não quer escutar...

E agora? Que faremos tu e eu sem eu e tu
se somos assim, tão norte, tão sul
dados viciados
pesados, teimosos demais pra admitir... Te amo e não volto.

sábado, 2 de julho de 2011

Provas

Tentei te provar
quis saber o sabor da tua boca
por paixão lutei
por gostar, mudei

tentei te provar
por meio de versos
parágrafos e travessões
que voce era mais
que eu eu podia ser mais
que nós éramos somas

tentei-te a provar
por pouco lhe fiz acreditar
mas de tanto insistir
sinto ter que admitir
te perdi...

e não me resta muito
alguns recados
presentes que nem sabe que me deu
mas que eu guardo só pra lembrar
junto com tudo que ainda me faz gostar

mas ja nem importa mais
briguei demais
obriguei demais
quando o que faltava-me era só paz
boto minha viola no saco e vou embora querendo voltar
mas com a certeza de que meia-volta não poderei dar

porque o amor não compensa
o crime foi sempre ser quem sou
bom pra mim mesmo
ruim pra todo o resto.

domingo, 12 de junho de 2011

Guerra, Miséria, Terror, Tristeza

(enquanto isso eu dormia e sonhava...)

Louco sorridente

Chama o patrão
pra ver o que que há
aquele louco descendo pelo corrimão
a assobiar!

sorrindo como ninguém
contente como ninguém...

deu pra ver a diferença
nos olhos do que feliz vivia
que estava sempre marcando presença
mandando beijos pra quem sequer retribuia

e onde estivesse o louco sorridente
lá estavam todos os outros cochichando
da saudade que tinham de sorrir andando
e desse novo jeito de levar a vida monótonamente

esse louco era eu...
não me façam querer parar.

vida e relógio

Tic tac
sozinho
ausência
saudade
será quem também sente minha falta onde está?

tic tac
sumir
remorso
dor
será que chamo? rezo? sonho?

tic tac
o tempo passa
e tudo que eu faço é pensar em você
A compaixão dos homens me fascina
é a maior das virtudes
vai além do dinheiro
das roupas batidas de quem pede
além da compreenção.

'Os humildes!
já leste os artigos sobre os pobres, nos jornais?'
é a alma das ruas
é a poesia de quem sofre.

Inventem

Inventem vacinas para minha rotina
pois o meu destino é ficar só
inventem um novo jeito de amar
que não seja o prazer à dois

marcar despedidas
forjar desencontros
e terminar a noite dormindo
com a tv ligada no último filme da noite

não farei vítima o meu coração
deixarei que se cure sozinho
longe do que possa machucar
longe pra que me torne indiferente

inventem algo que eu consiga dormir pra não viver
pra não precisar ver
e acordar só quando tudo estiver transparente
fácil de entender

terça-feira, 31 de maio de 2011

Louça

Para Jaqueline de Oliveira, minha bolinha :)

Arruma a cozinha, meu bem
que a hora já vai chegar
lave pratos, copos, talheres
prepare tudo com emoção

mantém aquele quarto com a porta fechada
quem viveu, não precisa mais entrar lá
muda de cômodo
muda de casa
muda de ares
muda comigo

muda por mim

deixemos tudo impecável
pra que sempre nos sobre
a boa e velha pilha de louça pra lavar

são mais horas juntos
mais jantares em par...

arrume teu coração, meu bem
que eu já vou chegar
lave a alma, os espelhos, tudo
prepare-se pra toda emoção

que eu vou te proporcionar.

Sozinha

Tão cedo partiu
que envelhecer tornou-se solidão
não fosse aquele amor arranjado
de poucos prazeres
rabiscado em papel
tingido em lágrimas
eu estava só...

quem me vê no mercado
na porta do trabalho
no compasso da dança
percebe minha felicidade

e meu sono,
minha cama
já não escondo deles o meu pranto
minha felicidade é lenta
fraca...

reconstruirei meus pilares
reviverei meus melhores dias
pois longe de ti
envelhecer tornou-se difícil missão
acompanhada e sozinha

e viver inventando é mais uma prova
de que é impossível passar
toda a eternidade em total solidão

Sou...

Sou simpático
talvez um tanto quanto dramático
(pra) sempre sistemático
me finjo enigmático

quando no fundo sou um tremendo patético
sem qualquer padrão estético
sem qualquer compromisso frenético
sem todo aquele misticismo sintético

eu sou simplesmente mais um carioca
que prefere paçoca
à tapioca
que trata todo defeito como culpa da repimboca
e acha qualquer cidadão boboca

sou burocrático,
sou caquético,
sou fantástico,
sou cético.

e também sou um boboca.

Proteção

Não me faças teu herói
nem teu cão guia
pois no soldado que jamais será o mesmo
prevalece a dor de um passado de glórias

glórias de quem?

não me cabe obrigação tal
me tira esta responsabilidade
a qual
nunca tornou-me mais valente

a ponto de proteger-te
a ponto de guiar-te.

sábado, 19 de março de 2011

sentimento

Me faz encontrar aquilo que um dia eu perdi
me faz ter saudade pra te encontrar no dia seguinte
pra me distrair no meio da conversa
pra me deixar sem dormir

eu quero sentir essa sensação de novo
eu quero dançar sozinho lembrando do seu sorriso
não me mates de aflição
não me faças querer outra

me obrigue a dizer que te amo

Pés

Pés sempre no chão
de alguém que nunca teve tanta razão

de tanto pensar, encontrei a verdade
e não me aflijo mais
quando penso que tudo foi mera vaidade
e
se é isso que me traz paz
me deixo a vontade pra sorrir
pois agora que criei raízes à medida que caminhava
sinto uma baita vontade de partir
em busca do que tanto sonhava

domingo, 13 de março de 2011

Rotina

Hoje o dia há de ser maravilhoso!

acordei
voltei a dormir

e o hoje foi igual ao ontem
tudo muito chato
tudo muito igual

amanhã vai melhorar, tenho certeza.

Suicídio

Talvez eu nem devesse me preocupar
me desidratar em lágrimas
quando a água que cai
é só da chuva lá fora
longe de mim

talvez eu não seja o melhor dos homens
o de caráter invejável
de um ideal incontestável
mas fiquei com a certeza de que
por mais errado que parecesse estar
em tanta conspiração
eu estava certo

estava ali pra ver...

tentei despedidas
forjei compromissos
dizia estar por aí
pra não sentir na pele
os problemas de que tanto fugi

fiquei e me arrependi
decepcionado, me tornei gelo
mais seguro de mim
sem o apoio de ninguém
porque sempre fui eu
e eu sei quem sou
mas quem sou eu para os outros que veem?
são facetas mil
e nem eu sei quem sou
depois de tanta desconversa

e logo eu
logo eu...
o jovem poeta que sofre
que nunca finge doer
se torna preso
prisioneiro de mim
por não mais conseguir esconder
que sente-se cansado
a cada nova tormenta
a cada novo desagrado

meu coração, agora desenfreado
não quer mais saber
de vez, me despeço
pra nunca mais ter que ouvir
que um dia fui coroado diabo.

[enquanto isso os falsos anjos brincam...]

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Envelhecer

Me pareceu que você disse
que nunca é tarde demais pra correr
mas olhando p'ras tuas pernas cansadas
senti você dizer
que já fazia muito tempo
e as mesmas malditas pernas não queriam obedecer

te vi envelhecer aos poucos
e se nunca foi tarde demais
por que não aproveitara antes?
acomodou-se
quis provar o jeito prático
hoje nem andar consegue

a alma querendo pular até cansar
e corpo querendo parar
ficou pra trás...
tornara-se preguiçoso,
hoje só andas com as pernas dos outros

quer me dizer que o sossego é um caos?
que estar de pé sempre foi a solução?
só agora quer ter uma vida real?

será mesmo que sua vontade de viver
não foi despertada tarde demais?

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Prazer

Depois de fazer um carnaval debaixo das minhas roupas
você vai embora
abandona-me
com a camisa impregnada do teu calor
e aquele cheiro de prazer espalhado pelo quarto

Depois de um furacão de pernas,
uma baita sensação de cansaço
ou a leve impressão de que
bastava um pouco mais de tempo
pra saírem tantas frases bem feitas
e te convencesse de ficar

assim, se foi
a saudade me bateu com violência
e eu só fui acordar no dia seguinte
na outra ponta da cama vazia.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Paz, padrão e hipocrisia

Parem de reclamar
de gritar nos meus ouvidos
anos se passaram
não perceberam até agora
que o que eu quero é

paz?

pra que? a sombra dos seus movimentos
é que ditam sua realidade
reclamamos mesmo
complicamos sua vida
ostento poder de regras
quando sou apenas o

padrão

é achar que quero seguir tendências
deixem-me sossegado
com a minha simplicidade
de vocês não tiro nada
mesmo que devesse
então por que tentam
tirar toda vez de mim essa

paz?

aceite a realidade, jovem
viva de acordo com o contexto
não espere que o tratemos diferente
porque queres um mundo só teu
sabe como você deve viver?
seguindo sempre a droga do

padrão

é uma porcaria
e eu sou diferente de todos vocês
maldito mundo hipócrita!

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

O mundo em minhas mãos

Se o mundo fosse mesmo uma bola
e eu fosse Ele
Eu o chutaria pr'os anéis de Saturno

que engraçado seria:
Eu gritando gol
e o mundo todo gritando
terremoooto!

Onde eu encontro a minha paz

Meus olhos secaram
e é no sorriso dos outros
que eu encontro a minha paz

diz aí, chico
sobre a felicidade que nunca tivemos
sobre a paz utópica que conquistamos
que se vale pelo bem de outrem

sempre quis fazer o bem
pergunte pra qualquer um
ao padeiro ou ao vizinho
e à Ele que não me deixa mentir

porque fazer o bem virou dom
do mais enobrecidos monarcas
donos de uma espiritualidade incomum
que fazem parte da minha própria legião

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

O relógio e o tempo

O tempo não parou.
o relógio sem marcas da idade
rugas ou deficiências
mantém seu pêndalo em atividade

o tempo nunca para...

tic...




tac...

Companhia na solidão

São raros os momentos
em que me sinto só
a luz do sol já nem era tanta
quando eu quis tocar suas tranças

eu queria seu calor
sentir o prazer
mesmo emaranhado nas cobertas grossas
enquanto dormia

mas
a noite viria, de fato
uivasse quem fosse
ela chegaria aos prantos
gritando seus ventos sobre mim

eu que nunca fui muito fã de frio
aguardo o nascer do sol
novamente pela manhã
enquanto isso eu durmo...
sozinho

na companhia Dele, somente
estar, pois, sozinho
não diz mesmo estar só
eu tenho Deus
confidente bonachão
que me vela na noite
friiia...

Remédio pra amor

A minha razão
não passa de um comprimido
que me medica
toda vez que meu coração se atrai por alguém

é um medicamento amargo
tomado em doses diárias
pra retardar esse processo doentio
que é a apaixonite

às vezes vão 3, 4 doses de uma vez
sabe como é quando o amor bate
medo? não, não...
eu tenho é cuidado

de não me interessar por ninguém
pelo menos até perceber
que o remédio não faz mais efeito
e eu me apaixone de vez

ou que simplesmente jogue tudo pro alto
e não queira mais tomá-lo

Venda sob prescrição médica.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Além das nuvens

Passei a mão pelo seu rosto
e senti os dedos molharem
conheço isso de tempos
eram lágrimas, eu sei

eu pude sentir um aperto
muito além da matéria de suas mãos
era do coração dela
do meu
embaraçados, no meio das nuvens

é... lembrando da tal liberdade
do prazer em família

como é gostoso voar
senti-me um Deus, olhando tudo de cima
tocar as nuvens como algodões
talvez ir além dessas nuvens
da tristeza...

a noite caiu
e o que eu mais vi foram estrelas
do céu
da cidade iluminada
constelada de realidades
mas eu continuei voando.

foi voando que lembrei de ti
é chorando que mostro minha dor
mas fique certo que sozinho não estou
sozinho não está
grite comigo!

Isso é só o início
e eu, enfim, matei minha saudade
pois voei pertinho de onde você me vê.

Acordar

Acordei com uma tremenda vontade
de sentir-me bem.
levantei, porém, com raiva nos olhos
porque ser feliz e sentir-se bem é uma coisa

acordar cedo é outra...

mas logo se percebe o sono se despedindo
não faz mal
começou um novo dia
e eu enfim despertei pro mundo

superei o cansaço
aquela fadiga medíocre
deixei de esperar sentado pra correr a favor do vento
que hoje sopra felizmente
me levando pra onde quero ir...

e sabe o que eu quero? sonhar, rapaz, sonhar...
mesmo que acordado

mas levantar cedo... bem...
aí continua o problema.

O ipê e a natureza

Para Amanda Cruz, a dona do ipê

Que beleza, aquele ipê!
florescendo na parede vazia
esverdeando esse complexo inútil
que rompe do chão, monocromática

o sol ja era meio fraco
envergonhado pra aparecer
avermelhava o céu com a timidez
e ficava atrás das nuvens
olhando minha terra, sua natureza

mas que seria de mim, sem as flores no caminho?
o vento bate
as plantas se comportam em estranho
falam, gesticulam
contam suas histórias com minúcia
com simples gestos das folhas
estejam elas voando
ou batendo contra a água da poça


sempre foi importante
parar pra ouvir a natureza
saber a hora de admirar...
admirar-se...
nossa, a vida é tão bonita...
para só pra ver...