domingo, 12 de junho de 2011

Guerra, Miséria, Terror, Tristeza

(enquanto isso eu dormia e sonhava...)

Louco sorridente

Chama o patrão
pra ver o que que há
aquele louco descendo pelo corrimão
a assobiar!

sorrindo como ninguém
contente como ninguém...

deu pra ver a diferença
nos olhos do que feliz vivia
que estava sempre marcando presença
mandando beijos pra quem sequer retribuia

e onde estivesse o louco sorridente
lá estavam todos os outros cochichando
da saudade que tinham de sorrir andando
e desse novo jeito de levar a vida monótonamente

esse louco era eu...
não me façam querer parar.

vida e relógio

Tic tac
sozinho
ausência
saudade
será quem também sente minha falta onde está?

tic tac
sumir
remorso
dor
será que chamo? rezo? sonho?

tic tac
o tempo passa
e tudo que eu faço é pensar em você
A compaixão dos homens me fascina
é a maior das virtudes
vai além do dinheiro
das roupas batidas de quem pede
além da compreenção.

'Os humildes!
já leste os artigos sobre os pobres, nos jornais?'
é a alma das ruas
é a poesia de quem sofre.

Inventem

Inventem vacinas para minha rotina
pois o meu destino é ficar só
inventem um novo jeito de amar
que não seja o prazer à dois

marcar despedidas
forjar desencontros
e terminar a noite dormindo
com a tv ligada no último filme da noite

não farei vítima o meu coração
deixarei que se cure sozinho
longe do que possa machucar
longe pra que me torne indiferente

inventem algo que eu consiga dormir pra não viver
pra não precisar ver
e acordar só quando tudo estiver transparente
fácil de entender